Arquivos da Categoria: Eletrônico

No passo do Criolo Doido

Por Diego Menezes
De Salvador
Criolo, também conhecido como Criolo Doido, é um cantor e rapper que exerce a sua rima desde 1989, tendo   trabalhado como educador de 1994 a 2000. Mas somente a partir de 2011 passou a ser reconhecido, tendo lançado dois álbuns: o primeiro em 2006, entitulado “Criolo Doido – Ainda Há Tempo”, e o seu segundo e mais novo, “Criolo – Nó Na Orelha”, de 2011, tendo este ganhado inúmeros prêmios no VMB 2011 da MTV, apresentando-se inclusive ao lado de Caetano Veloso durante o evento. Saiba mais

Anúncios

Reckoner

Por Juliette Savin

de Munique/Alemanha

Estou animada: Radiohead anunciou na segunda-feira que vai lançar o seu proximo album na internet, neste sabado (19 de fevereiro) … A banda inglesa, inovadora no seu modo de distribuiçao, ja tinha feito isso em 2007, para o lançamento do seu ultimo album, In Rainbows: fans podiam baixar o album do site da banda, pagando o que quisessem. Dessa vez, vamos ter que pagar £6 para baixar o mp3 de The King of Limbs.

Reckoner è uma maravilha e acho o video, por Clément Picon, lindo. Por favor escutar com som bem alto…

A Cidade – Chico Science e Nação Zumbi

Por Antônio Arapiraca

De BH

Não fosse o movimento Manguebeat liderado por Francisco de Assis França, ou Chico “Science”, os anos 90 poderiam ter passado sem muitas novidades na música popular brasileira. Pode parecer pretencioso esse comentário, mas o mix musical protagonizado pela turma do caranguejo foi inédito na cena musical do país. Com sua banda Nação Zumbi, Science liderou este movimento que combinava rock, soul, pop, funk, hip hop e eletrônico com maracatu e outros ritmos regionais. Muitas outras bandas surgiriam desse cenário que explodiu em Pernambuco, mas a Nação Zumbi com seus tambores rústicos e ancestrais, que dirigiam  sempre uma sessão rítmica envenedada, falava bastante de questões sociais. Nas palavras do próprio Science, a metáfora do homem caranguejo ( partindo da literatura de Josué de Castro), que saiu do mangue para os centros urbanos era uma forma de denunciar o estado de coisas e a opressão sofrida pelos de baixo em nossa sociedade. Peso, muito peso no som, sempre fez parecer que o maracatu deles pesava uma tonelada e com essa mistura eletro-soul-sônica eles deram um novo fôlego ao que parecia andar  meio tedioso. A faixa que apresento a vocês é A Cidade do primeiro álbum da banda, Lama ao Caos de 1994. Chico Science nos deixou cedo demais e em 1997 foi jogar peso sonoro em algum outro lugar. Ficou o legado, ficou o movimento Manguebeat, ficou o Nação Zumbi e sua máxima: Que eu me organizando posso desorganizar, que eu desorganizando posso me organizar.