Arquivos da Categoria: Blues

Abram as portas da percepção sem precisar de mescalina

Por Débora Alcântara
De BH

É uma pena que não deu tempo de o ícone do funk, George Clinton, gravar uma peça com Sun Ra, outro ícone, só que do afrofuturismo. “Nós deveríamos ter feito algumas músicas juntos, combinando nossos grupos”, disse em entrevista neste ano, ao noticiário SF Weekly. Mas a conversa entre os lendários aconteceu pouco antes de Sun Ra morrer, em 1993, sem que o grande feito tenha sido consumado. Lamentável. Se tivessem fundido os estilos, a “filosofia cósmica” de Sun Ra, com seu jazzismo idiossincrático, deslancharia rumo a Saturno, metatraduzida na voz rouca e gutural de Clinton ornamentada pelas genialidades das bandas do afrofuturista e as Parliament e Funkadelic. Quem dera que um bocado do “Anjo da Raça”, como se auto-intitulava Sun Ra, compusesse um hibridismo cósmico com a sensibilidade de George Clinton, que vai do doo wop ao funk, como performance musical, inspirando mais tarde o movimento rap. Saiba mais

Blues da sarjeta


Por Débora Alcântara
De Belo Horizonte

ImageA vida difícil numa das diversas repúblicas de estudantes da cidade de Itabuna, interior da Bahia, foi a condição propícia para o nascimento, em 2008, da Banda Mendigos Blues, nome sugestivo, por sinal, para decifrar as agruras tratadas com sarcasmo, através da música. “A situação era tão cabulosa que éramos conhecidos como tal”, admite Ismerarock, vocalista e um dos demiurgos do grupo na guitarra e no violão. A banda também conta com Jonnie Walker (vocais e guitarra), Ayam U´Brais (baixo e vocais) e Chucri (bateria).

Para seu acalento, a turma foi beber na literatura de Charles Bukowski a naturalidade de viver na dita “sarjeta”, fazendo dela, acima de tudo, uma rica fonte de inspiração. “Acho que a maior influência que levo de Buk é essa: não tenho a mesma visão de sucesso da sociedade burguesa. Quero tão pouco pra mim!”, esmiúça Ismera. Saiba mais

Cyndi Lauper se reiventa no blues

Por Tarsila Guimarães

De Recife

Quando soube do show de Cyndi Lauper no Recife, fiquei super empolgada. Eu iria ver a cantora de cabelos coloridos que cantava ‘The Goonies R Good Enough’!!! Até este momento, conhecia Cyndi das clássicas: Time After Time, True Colors, I Drove All Night, entre outras. Algumas semanas antes de vê-la ao vivo, meu parceiro de show me trouxe a notícia de que o novo disco de Cyndi, ‘Memphis Blues’, concorreu na categoria ‘Best Traditional Blues Album’ no Grammy deste ano. Fiquei surpresa e curiosa para ouvir a nova ‘roupagem’ de Cyndi. Saiba mais

Ain’t Got No/I’ve Got Life – Nina Simone

Por Antônio Arapiraca

De BH

Nina Simone, ou melhor, Eunice Kathleen Waymon, nasceu em fevereiro de 1933 na Carolina do Norte. Nos anos 50 comecou a tocar piano e cantar Blues nos cabarés de Nova Iorque, Filadélfia e Atlantic City. Claro que sempre escondida dos pais que eram pastores metodistas. Nina foi uma artista que se aventurou por vários estilos musicais e conseguia com versatilidade fazer versões muito interessantes de vários clássicos, como é o caso de My Way de Claude François que foi também cantada por Frank Sinatra. Nina foi ativista de causas sociais e esteve sempre fortemente engajada na luta contra o racismo. Deixo aqui para vocês uma poderosa experimentação de Ain’t Got No – I’ve Got Life em um show que já fiz de tudo pra saber onde e quando, mas… Se alguém souber é só avisar.